terça-feira, 17 de maio de 2011

MINUSTAH: Tenente Pujol relata seu trabalho no 2º turno das eleições

Após completar 4 meses de trabalho na Missão da ONU no Haiti - MINUSTAH - o Tenente Leonardo Moreira Pujol, da Polícia Militar do Estado da Bahia - PMBA - nos enviou um relato sobre seu trabalho durante o desenrolar do 2º turno das eleições presidenciais haitianas.


"O Durante o segundo turno do Processo Eleitoral Haitiano, dentro da área de atuação da Comissaria de Polícia de Pétionville, onde eu e o Ten PMPR Azevedo estamos lotados, participamos de diversas Rádio-Patrulhas desenvolvendo a atividade de Police Monitor juntamente com UNPOLs de outras nacionalidades em conjunto com a PNH; durante os três turnos de serviço: 06hrs-14hrs, 14hrs-22hrs e 22hrs-06hrs, a fim de aumentar a sensação de segurança da comunidade local.
Na semana anterior do dia da votação, dia 20 de março (domingo), fomos destacados para reforçar a segurança da residência do Chefe do Comitê Eleitoral Provisório, que fica localizada nas proximidades da Delmas 83.
No dia da votação, comecei minhas atividades bem cedo, por volta das 04hrs da manhã, participando do briefing final na Comissaria, localizada na Place Saint-Pierre em PétionVille, juntamente com cerca de 40 UNPOLs que trabalham nesta estação policial. De lá cada equipe se deslocou para o seu lugar de atuação.
Trabalhei juntamente com outro colega do Canadá e outros 04 policiais haitianos, em uma grande Zona Eleitoral (haviam 28 Seções de votação), que fica em uma Escola Haitiana: Ecole Nationale – Republique Guatemala. Um dos fatores complicadores foi o fato de que dentro desta escola, também funciona um I.D.P Camp - Internally Displaced Person Camp.
A votação se iniciou com cerca de uma hora e meia de atraso, por volta das 07:30hrs, a arrumação das mesas e urnas já havia iniciado desde às 05hrs, horário em que chegamos no local que era iluminado à luz de velas. O esforço dos haitianos para que tudo ocorresse da maneira prevista foi grande, muitas eram as pessoas que estavam envolvidas para a preparação do local. Como UNPOLs estávamos lá para garantir a licitude do processo eleitoral, atuando como observadores e auxiliando os colegas da PNH no que fosse preciso.


A votação estava prevista para encerrar às 16hrs, porém perto do horário estabelecido recebemos ordens para fechar os portões uma hora a mais, terminando assim às 17hrs.
Durante todo o dia, o movimento de haitianos que vinham exercer seu direito fundamental, foi intenso. Quando o portões foram fechados, começou um processo de contagem de votos das urnas nas quais partidários dos dois candidatos à presidente acompanhavam e faziam as suas anotações de perto. Outra peculiaridade das eleições haitianas é a de que o vice-presidente, não é um candidato indicado pelo partido do presidente, concorrem às eleições também. Essa contagem terminou, por volta das 21hrs. Com as cédulas de votação em pacotes lacrados, chegava a hora mais tensa, de escoltar os milhares de votos até ao Quartel General das Eleições, onde após longa fila foram entregues em mãos aos responsáveis do Comitê Eleitoral Provisório, por volta das 02hrs da manhã do dia 21 de março.
Estava cumprida a minha missão...
Agradeço a Deus pela oportunidade de participar de alguma forma deste novo episódio na história Haitiana, esperando que realmente a vontade do povo seja respeitada e que o novo presidente honre o seu compromisso com sua nação.
***Resultado dia 05 de abril de 2011 – 67% novo presidente haitiano Michel Martelly. (Primeiro trabalho na Joint Operations – Patrulha com militares do Brabatt 2: Cite Soleil, Porto Marítimo e Cozinha do Inferno)."


Nenhum comentário: