domingo, 21 de agosto de 2011

Haiti: TCel Issa assume nova função na MINUSTAH


Após passar aproximadamente três meses e meio absorvendo experiências e vivenciando a realidade da população haitiana como integrante de uma equipe de 21 UNPOLs no maior e mais populoso IDP (Internally Displaced People) Camp de Porto-Principe, o Jean Marie Vincent, o Tenente-Coronel da Polícia Militar do Estado da Bahia - PMBA - Francisco Luiz da Fonseca Issa (na foto acima junto ao Tenente Pujol também da PMBA), foi convidado a integrar a Unidade de Inteligência do IDP Camp Unit.
A unidade de inteligência é composta, além do TC Issa, de dois policiais canadenses, um policial da Costa do Marfim, um policial de Burkina Faso, um policial da França e um policial norte-americano, o qual desempenha a função de coordenador. Todos os UNPOLs com experiência na área de inteligência, vigilância e investigação criminal.
A Unidade de Inteligência está voltada exclusivamente para o combate às atividades criminosas dentro dos IDPs. Após o terremoto de janeiro de 2010, milhares de pessoas perderam suas casas e passaram a viver em acampamentos montados pelas Nações Unidas e organizações não-governamentais internacionais. A grande concentração de pessoas em locais delimitados da capital haitiana e de cidades do interior trouxe uma série de consequências negativas, dentre as quais o aumento da atividade criminosa nos IDPs. Entre os crimes combatidos pela unidade de inteligência encontramos a formação de quadrilha, o tráfico de drogas, os crimes contra a vida (homicídios) e a violência contra a mulher. A unidade de inteligência também atua em todo o território haitiano em apoio ao órgão central de inteligência da MINUSTAH conhecido como Joint Mission Analysis Cell - JMAC .
O TC Issa participou no dia 10 de agosto de sua primeira operação em conjunto com a Joint Operations Unit/DIROPS, unidade em que está atuando outro brasileiro, o 1º Ten PMBA Pujol (foto abaixo).
A operação foi realizada no IDP Camp Jean Marie Vincent e recebeu a denominação de "Special Operations Miguel", tendo contado também com a participação da SWAT da Polícia Nacional Haitiana -PNH - e da Formed Police Unit (FPU) da Jordânia. Os números finais da operação registraram a prisão de quatro integrantes da quadrilha de Kokobe, procurados pela justiça haitiana pela prática de crimes de homicídio, assaltos a banco e estupros. Além das prisões, foram apreendidas com os bandidos pistolas e drogas.
Nas fotos abaixo podemos ver algumas atividades de patrulhamento diurno e noturno desenvolvidas pelo TC Issa. Em algumas delas podemos visualizar o apoio de integrantes do Grupamento Operativo dos Fuzileiros Navais brasileiros às atividades dos UNPOLs, bem como o apoio da FPU da Nigéria.




Desejamos sucesso ao Tenente-Coronel Issa em sua nova unidade!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Haiti: Tenente Azevedo assume função de Supervisor Cinotécnico da MINUSTAH

Após cinco meses trabalhando como Monitor Policial na Comissaria de Petion-Ville, o 1º. Tenente da Polícia Militar do Estado do Paraná - PMPR - Leandro de Azevedo Thereza passou a fazer parte da equipe de combate ao tráfico de drogas ilícitas (Ilicit Drugs Trafficking) da Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti - MINUSTAH, mais especificamente como Supervisor Cinotécnico. Essa atividade de supervisão tem como objetivo acompanhar tanto as atividades operacionais quanto os treinamentos dos cães de faro de entorpecentes e explosivos da Polícia Nacional do Haiti - PNH, podendo ser empregado em toda a extensão do país caribenho.
Atualmente, o emprego dos cães da PNH é realizado nos portos e aeroportos da capital Porto Príncipe, bem como postos alfandegários dispostos na capital e nas fronteiras terrestres com a República Dominicana. Operações de diversas naturezas também fazem parte da rotina da equipe canina (K9), havendo aplicações em bloqueios viários e buscas domiciliares. A Polícia Haitiana conta hoje com seis cães de faro adquiridos pelo governo dos Estados Unidos junto às Polícias da Colômbia e da República Dominicana. À MINUSTAH cabe o papel de supervisão do seu emprego, serviço esse realizado pelo Tenente Azevedo em companhia de um UNPol Estadunidense e um Colombiano, também especialistas em faro de entorpecentes e explosivos.
O principal objetivo desse programa é, obviamente, a localização de materiais ilícitos que chegam ou partem do Haiti, utilizando o faro do cão como ferramenta para as buscas, tal como acontece há muito tempo ao redor do mundo. Tendo os cães e seus respectivos condutores recebido os treinamentos iniciais na Colômbia e na República Dominicana, os técnicos da UNPol procuram amplificar a eficiência das equipes Cão+Policial.
O Cão é uma ferramenta especial e muito delicada. Por mais que tenha recebido treinamento, muito há que se trabalhar diariamente para que essa ferramenta continue com pleno aproveitamento. Além disso, os ensinamentos repassados aos policiais haitianos durante o treinamento foi inicial. É necessário que haja certa experiência para “ler” o cão e reconhecer seu comportamento diante do material que se objetiva durante a busca. O tenente Azevedo tem aproximadamente 7 anos de experiência no trato com Cães de Polícia, estando desde 2007 a frente do Canil Vale dos Ventos do 1º. Batalhão da Polícia Militar do Paraná, com sede na cidade de Ponta Grossa, onde desenvolveu trabalhos especializados de faro de entorpecentes, cães de patrulha, faro de pessoas, bem como de controle de distúrbios civis. “Meu principal objetivo aqui é possibilitar que a aplicação dos cães de faro se aproxime daquela que fazemos no Paraná e, pelo contato que tive com os Policiais K9 estrangeiros, também da que é feita nos Estados Unidos e na Colômbia, duas “escolas” K9 referenciais da área. Essa é uma atividade recente para a Polícia Haitiana, o que implica em um grande desafio para envolvidos nesse empreendimento. Creio que possamos colaborar para que as equipes K9 do Haiti tenham um papel tão importante e, principalmente, confiável quanto observamos no Brasil e internacionalmente.”
Na foto abaixo podemos ver o Ten Azevedo e seus colegas UNPOLs, Lt Robert McKaig (EUA), Int Castañeda (Colômbia) juntamente com a Equipe K9 da PNH.

Nas fotos seguintes podemos visualizar algumas situações de treinamento desenvolvidas pelo Tenente Azevedo. Abaixo de cada foto temos a descrição feita pelo Oficial brasileiro de cada atividade e sua importância. "Após localizar a substância escondida no veículo, a Pastora Holandesa Loly aguarda por sua recompensa."
O Ten Azevedo e o Int. Castañeda no trabalho motivacional, essencial à manutenção do espírito de busca do cão. "O que para nós é trabalho, para o cão é diversão. Sua busca pelo brinquedo e pela “briga” que sucede é a forma pela qual localizamos as substâncias procuradas.”
Annie, a cadela para faro de explosivos no momento da localização da substância escondida.
Cuidados especiais são vitais quando se trata de um cão de faro de explosivos. Um pequeno movimento pode acionar o artefato.”
"O estímulo da indicação passiva a fim de controlar a ansiedade do cão em encontrar o brinquedo. Arranhar o explosivo poderia ser fatal para a equipe".

O Tenente Azevedo segue a tradição dos UNPOLs brasileiros de assumir funções de comando e de destaque nas Missões de Paz das Nações Unidas. Isto não ocorre por acaso, o conhecimento técnico e o profissionalismo dos policiais militares brasileiros é motivo de constantes elogios das autoridades internacionais.

O Tenente Azevedo e a Polícia Militar do Estado do Paraná estão de parabéns!

sábado, 13 de agosto de 2011

UNPOL: 23 Oficiais aprovados nas provas do COTER

A IGPM/COTER realizou na semana que passou a 2ª Avaliação de Policiais Militares para Missões de Paz da ONU. O processo seletivo compreendeu a avaliação de idioma estrangeiro, manutenção de armamento, prática de tiro e condução de viatura com tração 4x4.
Em Recife foram 8 Oficiais aprovados, de acordo com a relação a seguir:
- um Tenente de Sergipe,
- um Tenente de Alagoas,
- um Tenente do Ceará,
- uma Tenente Feminina da Paraíba,
- um Major do Rio de Janeiro;
- três Oficiais de Pernambuco, dentre os quais o Major Robson e o Capitão Domingos, ambos veteranos de missão.
Em Brasília foram 15 aprovados, sendo 10 Oficiais da Polícia Militar do Distrito Federal - PMDF, fato que apenas confirma o elevado grau de preparação dos Oficiais da capital brasileira quando o assunto é Missão de Paz. Os outros 5 aprovados são oriundos do Estado do Paraná. A relação de aprovados em Brasília é a seguinte:
Polícia Militar do Paraná
- um Tenente Coronel (Veterano da Missão na Yugoslávia);
- dois capitães;
- dois Tenentes.
Polícia Militar do Distrito Federal
- um Major;
- oito Capitães, dos quais quatro são Oficiais femininas;
- um Tenente.

Entre os Capitães aprovados na PMDF estão o Capitão Carrera, veterano da missão no Haiti, e a Capitão Virginia, veterana da missão no Timor Leste.
Destacamos a expressiva aprovação de Oficiais femininas neste processo seletivo, demonstrando o aumento do interesse das mulheres policiais em participar de Missões de Paz das Nações Unidas.

sábado, 6 de agosto de 2011

Sudão do Sul: 8 vagas para UNPOLs brasileiros

A semana que passou foi de intensa "correria" para policiais brasileiros que estão aptos para Missões de Paz da ONU. O COTER enviou ofício aos comandos das corporações policiais estaduais no último dia 28 de julho (quinta-feira) informando existência de oito vagas para UNPOLs brasileiros na recentemente criada Missão de Paz da ONU no Sudão do Sul - UNMISS.
Não se trata de um novo concurso do COTER como alguns chegaram a pensar, mas sim um processo seletivo para cargos específicos na UNMISS aos quais somente podem se candidatar Oficiais das polícias militares já aprovados em concursos anteriores do COTER e cuja aprovação esteja dentro do prazo de validade de 18 meses.
Os voluntários tiveram apenas 3 dias úteis para providenciar o preenchimento da documentação (P11 - Personnal History, etc..), o trâmite interno da indicação nos comandos das corporações e a remessa para Brasília. O prazo para os documentos estarem em Brasília era o dia 03 de agosto (quarta-feira).
Dentre os documentos enviados aos candidatos pelo COTER está o documento do DPKO descrevendo os cargos. São 20 páginas de informações, dentre as quais destacamos a que define o prazo para que os documentos dos voluntários cheguem ao DPKO: 08 de Agosto, próxima segunda-feira. Depois disso, em um prazo não estipulado, começarão as entrevistas telefônicas, as quais deverão definir os indicados para compor a missão.
Os cargos disponíveis são os seguintes:

- 07 Police Adviser nas seguintes especializações: Crime Prevention; Crime Investigation: Police Administration; Police Management; Operations/Security; Communication Network e Border and Riverine.
- 01 Police Trainer (InductionTraining Unit).

Se tudo der certo, o Brasil irá continuar a enviar UNPOLs para a África.
Aguardemos os próximos acontecimentos!