sábado, 1 de abril de 2017

Capitão Wasenkeski completa 12 meses de Missão na Guiné Bissau

O Capitão Wagner Estanislau Wasenkeski é o 22º Oficial da Brigada Militar a ser designado para compor uma Missão de Paz da ONU, história que começou em 17 de junho de 1993 quando o primeiro grupo de 10 Oficiais gaúchos chegou a El Salvador para integrar a ONUSAL (United Nations Observer Mission in El Salvador). O Capitão Wasenkeski está desde 17 de fevereiro de 2016 na UNIOGBIS (United Nations Integrated Peacebulding Office in Guinea-Bissau), missão que também já recebeu o Major Tales Américo Osório em 2010. A Guiné Bissau é um país situado na região noroeste do continente Africano e tem suas fronteiras, ao norte, com o Senegal, ao sul, com a Guiné e a oeste com o Oceano Atlântico. Nos primeiros 9 meses de missão, o Capitão Wasenkeski foi designado para trabalhar na capital do país, Bissau, onde desenvolveu atividades de patrulhamento, planejamento e instrução aos policiais locais a cerca de vários assuntos técnicos profissionais voltados às ações de segurança pública no país, destacando-se o esforços para implantação do modelo de polícia comunitária, com uma maior aproximação dos policiais das comunidades onde trabalham. Na foto abaixo vemos o Capitão Wasenkeski durante instrução aos policiais locais.

Outra atividade importante desenvolvida pelo Capitão Wasenkeski é o contato com as crianças locais, oportunidades em que o Oficial, através do contato com as comunidades e palestras em escolas para os alunos e seus pais, repassa os modelos de tomada de decisão do Programa de Resistências às Drogas e à Violência (PROERD), destacando a importância da educação e da permanência das crianças nas escolas.


Na segunda fase da missão, iniciada em 17 de novembro de 2016, o Capitão Wasenkeski foi transferido para Bubaque, ilha situada a 6 horas de barco da Capital Bissau, onde exerce suas atividades juntamente com um UNPOL espanhol, tendo como atividades principais as investigações de crimes como tráfico de crianças, violência doméstica e violações do direitos humanos. As condições de vida em Bubaque, como se poderia imaginar, são mais precárias do que na capital do país, tendo o Capitão Wasenkeski encontrado uma situação de grande pobreza da população local. Outro problema enfrentado é a dificuldade de comunicação, pois a maioria da população fala um dialeto diferente do português, língua oficial do país.
Mesmo em Bubaque o Capitão Wasenkeski continua com seu trabalho junto às crianças e às famílias, enfatizando a necessidade de permanência na escola e tentando mudar uma situação cultural do país, o trabalho infantil com o consequente abandono dos estudos.



Falando da missão, o Capitão Wasenkeski destaca que: ”Somos três Oficiais brasileiros, comigo estão um Major e um Tenente do Rio Grande do Norte. A equipe de UNPOLs é composta por 16 integrantes oriundos, além do Brasil, da Colômbia, do Timor leste, de Portugal, do Senegal, de Cabo Verde, da Espanha, de Ghana, dos Estados Unidos e da Índia. Mas na missão, com todas as seções, há mais de vinte países representados. A missão UNIOGBIS tem em torno de 150 no staff. Temos um Coronel do Exército Brasileiro como Sênior Military Adviser Morei dividindo apartamento com dois brasileiros quando na capital e atualmente moro só, numa pousada na ilha de Bubaque.”


 O Capitão Wasenkeski recebeu 6 meses de extensão em seu período de missão e a previsão de retorno ao Brasil é para agosto de 2017.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Lançamento Oficial do Livro "ONU: Operações de Paz"


No último dia 29 de maio (Dia Internacional do Boina Azul), no Quartel do 3º Regimento de Polícia Montada (3º RPMon), lancei o livro "ONU: Operações de Paz". O texto se desenvolve em 3 partes distintas. Na primeira parte aborda a história da ONU, sua estrutura e principais órgãos (Conselho de Segurança, Secretariado e DPKO), bem como a evolução das Operações de Paz e sua transição do modelo tradicional para o o multidimensional.
Em seguida, em uma descrição mais detalhada, destaquei a  Polícia das Nações Unidas (UNPOL), seu histórico e sua importância dentro de uma Operação de Paz a partir da década de 1990.  Nesse mesmo capítulo tratei, ainda, do processo seletivo no Brasil, estágio no CCOPAB, assim como de todas as informações necessárias a respeito da rotina do policial brasileiro em uma Operação de Paz da ONU (sistema de folgas, ajuda de custo, acomodações, alimentação, etc...) 
Por fim, a última parte é reservei para contar a história de 21 Oficiais da Brigada Militar em sete missões distintas nos últimos 20 anos: El Salvadorque (ONUSAL); Guatemala (MINUGUA), Kosovo (UNMIK), Haiti (MINUSTAH), Guiné Bissau (UNIOGBIS) e Sudão do Sul (UNMISS). O texto é fruto de entrevistas com esses Oficiais, os quais descreveram sua rotina, situações inusitadas que enfrentaram, suas conquistas profissionais. Tudo complementado com fotografias da época. 
Nas fotos a seguir vemos alguns momentos marcantes do Lançamento Oficial.



 Capitão Laudemir, veterano da UNMISS prestigiando o evento.







Como autor independente, eu mesmo farei a comercialização do livro. Os interessados em adquiri a obra podem entrar em contato comigo através do e-mail cap_marco@hotmail.com

Agradeço a todos que de uma forma ou de outra contribuíram para que essa obra fosse enfim lançada, em especial minha esposa Luciana, que de forma dedicada preparou toda a cerimônia de lançamento!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Veterano Boina Azul assume Comando Geral da PMDF



Ontem pela manhã (07) foi realizada, no pátio de formaturas da Academia de Polícia Militar de Brasília, a cerimônia de passagem de comando da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). Na ocasião o Coronel Anderson Carlos de Castro Moura transmitiu o cargo de Comandante-Geral da PMDF ao Coronel Florisvaldo Ferreira César. 

O Coronel Florisvaldo Ferreria César possui em seu currículo o Curso de Política e Estratégia pela Escola Superior de Guerra; Bacharelado em segurança pública pela Academia da PMDF; pós-graduação em direito internacional dos conflitos armados pela Universidade de Brasília (UnB), em alinhamento estratégico pela Academia de Polícia do Ceará, assim como cursos de gerenciamento de crise, inteligência e negociação pela PMDF.
O Coronel César é membro da 1ª Turma de Oficiais formados pela Academia da PMDF em 1990 e o terceiro veterano de Operações de Paz da ONU a assumir o comando da corporação. O primeiro foi o Coronel Antônio Ribeiro da Cunha (2000), já o segundo foi o Coronel Ricardo da Fonseca Martins (2010), ambos veteranos da missão em Angola.Já o novo Comandante Geral participou das Operações de Paz em Kosovo (2004) e na Guiné Bissau (2009), possuindo larga experiência em missões de paz, com mandatos executivos e políticos, sendo um entusiasta do tema, já tendo ministrado palestras que motivaram novos policiais militares a buscar seu espaço no campo da segurança internacional.
Nas fotos a seguir o Coronel Cesar, na época Major, aparece durante operação policial em Pristina, capital de Kosovo, em março de 2004. E a segunda foto, já como Tenente-Coronel, o Coronel César (4º a partir da esquerda) aparece junto aos demais UNPOLs da UNIOGBIS durante a cerimônia de Medal Parade da Missão na Guiné-Bissau em 2010.
Fonte: Blog Missão de Paz



Fonte: Foto cedida pelo Capitão BMRS Osório

Um fato chamou atenção do público durante a cerimônia de passagem de comando, pois o Coronel César enviou convite a todos os Oficiais veteranos de missão de paz para que comparecessem fardados com a Boina Azul. 
Na foto a seguir estão, a partir da esquerda, os veteranos Coronel Alexandre (Sudão e Haiti), Tenente-Coronel Sant’anna (Angola e Timor Leste), Tenente-Coronel Valdemir (Sudão e Timor Leste); Tenente-Coronel Denise Dantas (Timor Leste e Guiné Bissau); Major Robson (Timor Leste); Major Rodrigo Campos (Timor Leste), Capitão Fabrício (Haiti), todos a PMDF, e Capitão Pujol da Polícia Militar da Bahia –PMBA.


Na foto abaixo, em primeiro plano, aparecem o Coronel Alexandre, Tenente-Coronel Sant’anna e o Tenente-Coronel Valdemir.


Desejamos ao novo Comandante Geral da PMDF muito sucesso no novo desafio profissional que se inicia!

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Comandante-Geral da PMDF recebe Oficial que representa a corporação no Haiti

O Comandante-Geral da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), Coronel Anderson Moura, recebeu em seu gabinete na última segunda-feira, dia 23 de dezembro, o Major Wesley Santos que desde agosto de 2013 serve como Policial da ONU (United Nations Police – UNPOL) na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (MINUSTAH). Na foto abaixo o Major Wesley aparece junto ao Coronel Anderson Moura.

O Major Wesley Santos exerceu a função de Comandante do Contingente Policial Brasileiro na MINUSTAH até o início de dezembro, quando foi substituído na função por Oficial mais antigo da própria PMDF, o Tenente-Coronel Alexandre Jose da Silva, que se apresentou em Porto Príncipe para iniciar o seu Tour of Duty no Haiti. O Major Wesley aproveitou alguns dias de descanso no Brasil para apresentar ao Comandante-Geral o trabalho realizado pelos policiais militares da instituição no país caribenho, visto que a PMDF está representada por 7 dos 10 policiais militares brasileiros que se encontram atualmente prestando serviço às Nações Unidas na MINUSTAH. De acordo com o Major Wesley, todos os policiais militares brasileiros, inclusive os Oficiais de outros Estados (Pernambuco, São Paulo e Ceará) estão em funções importantes e gozam de elevado grau de respeito por parte do comando da missão.  Nas fotos a seguir podemos ver os Oficiais da PMDF no desempenho de suas funções. Na primeira está o Capitão Sérgio Carrera o qual é Coordenador e instrutor do Curso Advanced Training.

Capitão Natália com policiais haitianos em projeto comunitário.

TCel Alexandre José Silva em Operação na favela de Cité Soleil.

O Capitão Fabrício com a Equipe Móvel.

Capitão Virgínia durante o seu trabalho como membro do Grupo Gender Mobile Team.

Chegada de novos UNPOLs em Porto Príncipe onde aparecem os TCel Alexandre e Valverde (último à direita) e o Capitão Fabrício.

Na última foto aparecem a Capitão Natália, o Major Wesley e a Capitão Virgínia durante a cerimônia de Medal Parade realizada no mês de novembro.

O Coronel Anderson Moura recebeu o Major Wesley e repassou “palavras de motivação e apoio” a seu efetivo, demonstrando que o tema tem importância em sua gestão à frente da PMDF e que tem o devido reconhecimento institucional. 
Parabéns ao Coronel Anderson Moura e à PMDF que é referência nacional na participação policial brasileira em Missões de Paz, visto que praticamente 65% do efetivo UNPOL brasileiro em missões de paz da ONU atualmente pertence à Polícia Militar do Distrito Federal.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Policiais brasileiros são condecorados com a Medalha da ONU no Haiti

Após quatro meses de afastamento desse espaço de informação sobre o tema UNPOL e as Operações de Paz da ONU, tendo em vista a minha participação no Curso Avançado de Administração Policial Militar – CAAPM 2013, pré-requisito para promoção ao posto de Major, retorno às atividades do blog com um texto sobre a cerimônia de Medal Parade dos UNPOLs brasileiros na MINUSTAH ocorrida no mês passado. 
A cerimônia foi realizada no dia 12 de novembro e, como sempre, o contingente brasileiro foi prestigiado pelas mais altas autoridades de missão. Na foto abaixo podemos ver os agraciados com a medalha “ In The Service of Peace” (na fileira de trás) juntamente com essas autoridades à frente (da esquerda p/direita): UNPOL Chief of Staff – Iuliana Boanca (Romênia); UNPOL Police Commissioner - Luis Carrrilho (Portugal); Vice-Chefe da Missão (Deputy SRSG) – Sr Carl Alexandre (EUA), a Chefe da MINUSTAH - Representante Especial do Secretario Geral da ONU - Exma. Sra. Sandra Honore (Trinidad e Tobago); o Chefe Militar - Force Commander – General brasileiro Edson Leal Pujol; DSRSG; e o Embaixador brasileiro no Haiti José Luiz Machado e Costa.
Um dos momentos especiais da cerimônia ocorreu durante o Hino Nacional brasileiro, o qual foi executado pelo Comandante do Contingente UNPOL brasileiro, o Major PMDF Wesley Santos.

Na foto seguinte vemos os policiais brasileiros com o Chefe da Polícia e o Chefe Militar da MINUSTAH. Da esquerda para a direita: Capitão PMDF Sérgio Carrera Melo Neto, Major PMDF Wesley Santos, Capitã Daniela Teixeira, Police Commissioner Luis Carrilho, Force Commander General Pujol, Capitã PMDF Virginia Lima, 1º Tenente PMESP Nelson Vieira e 1º Tenente PMESP Carlos Alberto Mello Silva.

Na foto seguinte os UNPOLs aparecem com o Embaixador brasileiro José Luiz Machado e Costa.

O Capitão PMDF Sérgio Carrera Melo Neto, por já ser veterano da MINUSTAH (2007), não recebeu uma nova medalha e sim acrescentou o numeral "4" ao seu passador significando 4 semestres de serviço no Haiti. Abaixo, vemos o Capitão Carrera entregando uma lembrança do contingente ao Vice-Chefe da Missão (Deputy-SRSG) – Sr Carl Alexandre. 

Por fim, vemos nas fotos seguintes o público compostos por militares e policiais de diversos países que também estiveram prestigiando a cerimônia em Porto Príncipe, capital haitiana.


Parabéns aos nossos UNPOLs por mais esta conquista que materializa o excelente serviço prestados pelos policiais brasileiros às Nações Unidas na MINUSTAH!

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

MINUSTAH: Capitão Carrera é recebido pelo Police Commissioner

Na manhã do dia 19 de agosto de 2013, O Comissário da Polícia de Segurança Pública de Portugal Luís Miguel Carrilho, Police Commissioner da ONU na MINUSTAH (Haiti) recebeu em seu gabinete a visita do UNPOL Cap. Sérgio Carrera Melo (PMDF/Brasil), da Seção de Desenvolvimento de Recursos Humanos (Human Resources Development Unit – HRDU), para uma visita de cortesia. Na ocasião, o Cap Sergio Carrera passou às mãos do Comissário o livro “Sierra Romeo 8 – Uma Operação de Paz na Africa” (foto acima), de autoria do Tenente-Coronel RR PMDF Antonio Sérgio Carréra, veterano da Missão de Paz da ONU em Moçambique (ONUMOZ) e pai do visitante. Profundo conhecedor dos temas relacionados ao componente policial das Missões da ONU (United Nations Police-UNPOL), o Comissário Carrilho destacou a importância de publicações sobre o assunto em português, como forma de difundir o assunto em âmbito global, principalmente para os leitores de países de língua portuguesa, além de estimular a cultura de estudos e trabalhos mais aprofundados sobre os temas de interesse. “Fantástico!”, disse o Chefe de todos os policiais internacionais na MINUSTAH, sobre a iniciativa do autor na publicação da obra, ressaltando seu carinho especial por Moçambique e seu povo. Muito agradecido pela deferência, disse ainda já estava ansioso para iniciar a leitura, pois o título havia lhe despertado interesse.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Missões de Paz: Sargentos e Subtenentes estão autorizados a participar do processo seletivo

O Comando da Brigada Militar enviou documento aos Comando Regionais no último dia 21 de janeiro informando o calendário de provas do COTER para 2013. Os interessados devem enviar sua inscrição até o dia 15 de março ao correio eletrônico da PM3. Este ano a Diretriz de Seleção de Policiais Militares Voluntários para Missão de Paz apresenta algumas novidades em relação aos anos anteriores. A principal mudança é a autorização para a participação de Subtenentes e Sargentos no processo seletivo, uma mudança esperada por praças da polícia militar de todos os Estados brasileiros. Como na Diretriz de 2012, o documento deste ano deixa bem claro que o concurso não se resume apenas às provas de Idioma (Inglês/Francês), Condução de Viatura 4X4 e tiro. Estas provas fazem parte da 1ª Fase do processo seletivo, o qual é constituído de 3 fases distintas. 
As três fases são as seguintes: 
1ª Fase: Prova escrita e oral de Inglês, Condução de Vtr 4X4 e Tiro; 
2ª Fase: Os aprovados na 1ª Fase serão matriculados em um curso à distância - EAD - no Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil - CCOPAB. No início do curso os candidatos receberão o material para estudo com cerca de 500 páginas (em Inglês) e devem realizar uma prova ao final de 30 dias. A média para aprovação é 7,0. 
A 3ª Fase é constituída de um curso presencial no CCOPAB, no Rio de Janeiro, com duração de 4 semanas. Normalmente são realizados 02 cursos durante o ano, o primeiro no mês de abril e o segundo no mês de outubro. 
Concluído o concurso, os aprovados estarão aptos a receber a designação para uma das Missões de Paz da ONU para as quais o Brasil envia policiais (Guiné Bissau, Haiti e Sudão do Sul). A prioridade de indicação, segundo a Diretriz, é para os policiais que frequentarem o curso presencial, ou seja, concluírem com aprovação as 03 fases do concurso. Esgotada esta possibilidade, serão indicados os que realizaram o curso à distância. E, por fim, os policiais militares aprovados na 1ª fase. 
A Diretriz permanece com a informação de que o policial militar que concluir uma missão de paz com duração mínima de 6 (seis) meses, permanecerá habilitado por mais 18 (dezoito) meses, a contar da data de término da missão. 
As provas serão realizadas conforme o seguinte calendário: 
- 23 a 26 de abril: Porto Alegre e Recife. (A prova de idioma será somente o Inglês) 
- 5 a 9 de Agosto: Brasília e Manaus. (A prova de Idioma será Inglês e francês) O candidato deve optar por um dos idiomas ou, caso queira, poderá se submeter aos dois testes.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

MINUSTAH: Novo contingente UNPOL completa um mês e meio de missão no Haiti

Os novos integrantes do Contingente UNPOL brasileiro na MINUSTAH completaram um mês e meio de missão em Port au Prince, capital haitiana. Os policiais brasileiros chegaram no Haiti uma semana antes do Natal do ano passado e após a semana inicial de treinamento receberam suas designações (Deployment) para unidades UNPOL na capital Port au Prince. O Capitão Sérgio Carrera Melo Neto-PMDF, veterano da MINUSTAH (2007), foi designado para trabalhar como instrutor na Academia da Polícia Nacional Haitiana - PNH, a Capitão Virginia Souza Lima-PMDF, veterana da UNMIT, por sua vez, foi designada para o Comando Regional Oeste. Já a Capitão Daniela Teixeira-PMDF está trabalhando na Diretoria de Operações na unidade de Segurança Pública e Ordem (Public Security and Order), e o Tenente Nelson Viera - PMESP, veterano da UNMIT, está na Diretoria de Operações na unidade Planejamento de Operações (Operation Planning). Na foto abaixo aparecem, da esquerda para a direita, o Capitão Carrera, a Capitão Daniela, a Capitão Virgínia e o Tenente Vieira, juntamente com o Major Sérvio Milan Milosevic (centro), o qual foi o mentor dos brasileiros durante o Induction Training.
Nas fotos seguintes os brasileiros aparecem durante a prova de tiro realizada na semana inicial de treinamento. Esta é uma prática de rotina, visto que os policiais brasileiros necessitam refazer todas as provas realizadas durante o processo seletivo no Brasil - Idioma, tiro e condução de viatura - assim que chegam na área de missão.
Nesta última foto destaca-se a uniformidade do contingente brasileiro, calça camuflada e camisa pólo preta, o mesmo uniforme utilizado pelos UNPOLs brasileiros no Sudão do Sul e na Missão de Paz no Timor Leste (concluída em novembro passado). Esta é uma iniciativa dos policiais iniciada no Haiti em 2007, os quais necessitam comprar a camisa pólo com seus próprios recursos, afim de criar uma identidade brasileira nas diversas missões de paz em que participamos. 
Desejao boa sorte aos brasileiros em mais esta jornada que se inicia nas terras de Toussaint Louverture!

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

UNMIT: Tenente Mendes PMMT relata sobre suas atividades no Timor Leste


Como prometido, vou encerrar as notícias da Missão da ONU no Timor Leste falando sobre mais um amigo que fiz nesse seleto grupo de UNPOLs brasileiros. Trata-se do 1º Tenente Ricardo de Almeida Mendes, da Polícia Militar do Estado do Mato Grosso, o qual eu tive o prazer de conhecer durante o processo seletivo para missões de paz realizado pelo COTER em Porto alegre em abril de 2012. Depois disso, convivemos no mesmo contêiner durante os 26 dias do Estágio Preparatório para Missões de Paz – EPMP II – realizado no Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil – CCOPAB – no Rio de Janeiro. Entre suas especializações, o Tenente Mendes possui o Curso de Operações Especiais da Polícia Militar do Estado de Pernambuco, motivo pelo qual logo ganhou o apelido de “caveira” entre os militares e policiais que frenquentaram o estágio no CCOPAB. O Tenente Mendes foi o último Oficial brasileiro a ser indicado para a Missão de Paz no Timor Leste – UNMIT – quando a missão já estava em fase de redução gradual de efetivo até o seu encerramento há pouco mais de um mês, no final de novembro de 2012. Por este motivo, o Tenente Mendes permaneceu aproximadamente cinco meses e meio a serviço das Nações Unidas na UNMIT, mas com certeza ele aproveitou cada dia desta experiência profissional e de vida única para os policias brasileiros: ostentar a Boina Azul e trabalhar a serviço da paz mundial. O fato de trabalhar diariamente com policiais de diversos países e continentes possibilitou ao Oficial brasileiro a oportunidade de compartilhar o conhecimento a cerca de vários temas de segurança pública, além de conhecer, através das conversas com estes policiais estrangeiros, como funciona o sistema policial e prisional em diferentes países. Mas o mais importante é poder constatar in loco como estes policiais reagem e agem quando se deparam com as mais variadas ocorrências policiais. Este é um tipo de conhecimento que nenhum livro nos trás, somente o contato diário com policiais estrangeiros nos possibilita esta bagagem de conhecimento técnico-profissional. Antes de deixar o Dili, capital do Timor Leste, o Tenente Mendes me enviou um breve relato sobre sua chegada e trabalho na missão: “Cheguei na missão no dia 14/06/12, após longa viagem de quarto dias. O tempo de viagem foi acima do normal, pois, perdi o vôo em Cingapura onde tive que permanecer por duas noites até embarcar no próximo vôo para o Timor. Como era o único brasileiro chegando na missão, diferente dos outros contingentes que geralmente designam vários UNPOLs de uma vez, tive que esperar duas semanas até o início do Induction Training onde me juntei a 13 policiais da Nigéria e 14 policiais do Bangladesh. Durante o tempo de espera, fiz o meu check in na missão e recebi um temporary deployment no Dili Sub District (foto acima) onde inclusive trabalhei nas eleições parlamentares", como mostra a foto abaixo.

 "Com aproximadamente um mês de missão, fui designado para o Distrito de Baucau onde desempenhei a função de Monitoring Officer até o término da missão. Em baucau estive na companhia de outros dois Oficiais brasileiros, Cap BMRS Atilá Pezzetta e Cap PMBA Fernando Átila." Na foto abaixo o Tenente Mendes aparece durante atividade de Monitoring no distrito de Baguia com UNPOLs das Filipinas, Bangladesh e Malásia.
Na foto seguinte o Tenente Mendes aparece junto a criancas timorenses:

"Apesar de pouco tempo de missão, aproximadamente 06 meses, acredito que essa experiência foi muito valiosa tanto para minha vida quanto para minha carreira profissional. Estou muito feliz e orgulhoso de fazer parte da história dos “Boinas Azuis” e de representar bem a nossa nação e o meu Estado.”
Sua especializacao como instrutor de tiro fez com que conduzisse a atividade de descarga de munição dos policiais brasileiros, visto que o comando da Missão não autoriza aos policiais o retorno aos seus paises de origem com a munição em condições de uso.

Parabéns Mendes, sei que teus amigos e familiares tem orgulho de você e com certeza a Polícia Militar do Estado do Mato Grosso está recebendo de volta um Oficial altamente preparado e com conhecimento de polícia e sistemas policiais a nível mundial que poucos possuem!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Tenente Sacchelli cumpre sua missão no Timor Leste



Um mês após o encerramento definitivo das atividades da Missão de Paz da ONU no Timor Leste – UNMIT – eu gostaria de fazer os dois últimos posts sobre aquela missão abordando as atividades de dois amigos. Neste primeiro texto contarei a trajetória do Tenente Alan Sacchelli (na foto acima com meninas timorenses momentos antes de uma apresentação cultural), da Polícia Militar do Estado do Paraná, um amigo que fiz através das redes sociais, o qual eu não tive oportunidade de conhecer pessoalmente ainda. O Tenente Sacchelli tem uma história peculiar dentre todos os Policiais brasileiros indicados para missões de paz, pois antes de ser indicado para a missão no Timor Leste, o tempo de espera para receber a tão sonhada Boina Azul superou em muito o de qualquer outro. Vou explicar como foi esta história. O Tenente Sacchelli freqüentou o Estágio Preparatório para Missões de Paz - EPMP - no CCOPAB em maio de 2010. Já durante o curso no Rio de Janeiro os Oficiais receberam informação a respeito da missão para qual tinham sido designados. Sendo o Tenente Sacchelli designado para a Missão de Paz da ONU no Sudão – UNMIS. Após toda a tramitação burocrática da documentação ele finalmente realizou a entrevista telefônica obtendo a aprovação. No entanto, após alguns meses de espera, sua autorização de viagem (Travel Authorization) acabou não sendo expedida, pois a missão estava sendo encerrada, como de fato ocorreu em junho de 2011. Não preciso nem falar que isso foi uma frustração muito grande para o Sacchelli. No dia 11 de setembro de 2011, um sábado, 16 meses depois do Sacchelli ter concluído o EPMP, eu publiquei aqui no Blog um texto sobre a situação dele com o intuito de sensibilizar quem detinha o poder da indicação para Missões. Ressaltei no texto que o Sacchelli havia sido aprovado em todas as fases do concurso e que estava pronto para qualquer missão e que o COTER poderia aproveitar esse Oficial em qualquer uma das outras missões em andamento naquela época, visto que o prazo do seu concurso estava por expirar. Coincidência ou não, no dia 13 de setembro, dois dias após a minha publicação, ele recebeu um telefonema do COTER e foi indicado para a UNMIT. Finalmente a espera tinha acabado. Nova tramitação burocrática, outra entrevista telefônica e nova aprovação. E o Sacchelli embarcou para Dili, capital do Timor Leste, aonde chegou no dia 11 de novembro de 2011, exatos 18 meses após concluir o estágio no CCOPAB. Nas fotos abaixo podemos ver algumas das atividades desenvolvidas pelo Saccheli durante os 12 meses que esteve a serviço das Nações Unidas no Timor Leste. Na primeira foto ele aparece junto aos demais policiais brasileiros (TCel Valdemir PMDF, Cap Mauricio PMESP, Maj Fernandes PMERJ e Cap Isangelo PMDF) durante o Induction Training.


Nas três seguintes o Tenente Sacchelli aparece durante atividades de monitoramento da Policia Nacional do Timor Leste.



Nas fotos seguintes o Oficial paranaense aparece durante visita a uma escola timorense onde foram entregue cartilhas elaboradas pelo governo brasileiro para auxiliar na aprendizagem do idioma português. E durante reunião de trabalho preparatória para as eleições presidenciais.

Na última foto o Tenente Sacchelli aparece em seu posto de comando, pois desempenhou a função de Sub-Cmt do Distrito Policial (Deputy-District Commander) de Covalina, na cidade de Suai.

Ao Tenente Sacchelli desejo sucesso no seu retorno ao Paraná  e que desfrute do convívio dos familiars e amigos. Com certeza  a PMPR esta recebendo de volta um Oficial com muita experiência profissional e de vida, capaz de visualizar a seguranca pública não apenas com a visão brasileira, mas com um conhecimento de policiamento a nível mundial que somente os que tiveram a oportunidade de envergar uma Boina Azul possuem.
Grande Abraço Sacchelli.