terça-feira, 31 de janeiro de 2012

ONU: Brigada Militar divulga calendário de Provas do COTER para 2012

O Comando da Brigada Militar enviou documento aos Comando Regionais no último dia 23 de janeiro informando o calendário de provas do COTER para 2012. Os Oficiais interessados devem enviar sua inscrição até o dia 17 de fevereiro ao correio eletrônico da PM3.

Este ano a Diretriz de Seleção de Policiais Militares Voluntários para Missão de Paz apresenta algumas novidades em relação aos anos anteriores. A principal mudança é que o documento deste ano deixa bem claro que o concurso não se resume apenas às provas de Idioma (Inglês/Francês), Condução de Viatura 4X4 e tiro. Estas provas fazem parte da 1ª Fase do processo seletivo, o qual é constituído de 3 fases distintas. Isso já estava ocorrendo na prática desde 2010, no entanto não constavam das regras escritas do certame.

As três fases são as seguintes:

1ª Fase: Prova escrita e oral de Inglês, Condução de Vtr 4X4 e Tiro;

2ª Fase: Os aprovados na 1ª Fase serão matriculados em um curso à distância - EAD - no Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil - CCOPAB. No início do curso os Oficiais receberão o material para estudo com cerca de 500 páginas (em Inglês) e devem realizar uma prova ao final de 30 dias. A média para aprovação é 7,0.

3ª Fase: Curso presencial no CCOPAB, no Rio de Janeiro, com duração de 4 semanas. Normalmente são realizados 02 cursos durante o ano, o primeiro no mês de abril e o segundo no mês de outubro.

Concluído o concurso, os aprovados estarão aptos a receber a designação para uma das Missões de Paz da ONU para as quais o Brasil envia policiais (Guiné Bissau, Haiti, Sudão do Sul e Timor Leste). A prioridade de indicação, segundo a Diretriz, é para os policiais que frequentarem o curso presencial, ou seja, concluírem com aprovação as 03 fases do concurso. Esgotada esta possibilidade, serão indicados os que realizaram o curso à distância. E, por fim, os Oficiais aprovados na 1ª fase.

Outra inovação deste ano é que a Diretriz estabelece que o Oficial que concluir uma missão de paz com duração mínima de 6 (seis) meses, permanecerá habilitado por mais 18 (dezoito) meses, a contar da data de término da missão.

Embora no último ano a ONU tenha estabelecido uma nova missão de paz, a Missão de Paz no Sudão do Sul - UNMISS - e a Diretriz de 2011 tenha estabelecido que no caso de surgimento de uma nova missão a participação de praças das Polícias Militares seria avaliada, o concurso deste ano continua a ser destinado somente a Oficiais, em razão, segundo a Diretriz 2012, das atividades previstas para as citadas operações de paz e dos requisitos exigidos e desejáveis pela ONU.

As provas serão realizadas conforme o seguinte calendário:


- 23 a 27 de abril: Porto Alegre e Recife. (A prova de idioma será somente o Inglês)


- 6 a 10 de Agosto: Brasília e Manaus. (A prova de Idioma será Inglês e francês) O candidato deve optar por um dos idiomas ou, caso queira, poderá se submeter aos dois testes.

4 comentários:

Cap QOPMAM Honda disse...

Muito esclaredor o post, Marco, e deixo aqui como contribuição uma informação que já é do conhecimento da maioria: a aprovação ou aproveitamento nas 3 fases, no Brasil, torna o oficial apto a ser designado para uma missão de paz, mas a PERMANÊNCIA na missão ainda dependerá da realização (mais uma vez) dos mesmos testes da primeira fase, já no país de destino. Assim, se reprovar no teste de direção poderá continuar na missão, só que sem a licença para dirigir viaturas. Se reprovar no teste do idioma, poderá ser (ou melhor,SERÁ) repatriado. Só não me recordo qual a consequência da reprovação no teste de tiro: se resulta em repatriação ou alguma restrição na missão.

Grande abraço!

Cap Marco disse...

É isso aí Honda, vou escrever sobre o prosseguimento do processo seletivo que inclui a entrevista telefônica e a realização dos testes novamente na área de missão.

Carlos disse...

Sejamos sinceros, reprovar no idioma até pode ocorrer, pois não somos nativos. Agora, um PM reprovar na direção de um veículo 4X4 é complicado, não é. Pior é o PM reprovar no tiro. A arma de fogo é o nosso instrumento de trabalho. Reprovar no tiro é o mesmo que dizer que o médico usa o bisturi como faca de cozinha.

Anônimo disse...

No último teste, em Porto Alegre, houve a aprovação de um tenente do Paraná, um major do Distrito Federal e dois veteranos de São Paulo (Um tenente e um capitão). A seletiva continuou com os testes do EAD, com muito, mas muito material para ler. A prova do EAD é realmente muito complicada, exigindo interpretação de texto na lingua inglesa. Agora é esperar para ver.