sábado, 14 de novembro de 2009

Possíveis mudanças no treinamento de Policiais brasileiros enviados às Missões de Paz da ONU

Recentemente recebi o informativo PRONASCI nº 111, de 29 de outubro de 2009, no qual noticiou-se que o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania foi apresentado à autoridades no Haiti por representantes do Ministério da Justiça, os quais estiveram no país caribenho de 24 a 31 de outubro. A equipe reuniu-se com personalidades como o Embaixador Brasileiro Igor Kipman e representantes do Comando da MINUSTAH. Este fato já havia sido noticiado pelo Capitão Bassalo aos integrantes do grupo UNPOL.
Um dos grandes parceiros do Ministério da Justiça em projetos sociais na área da segurança pública no Brasil é a ONG Viva Rio, a qual, inclusive, desenvolve projetos semelhantes no Haiti desde 2004, como o projeto “Honra e Respeito por Bel Air”, bairro central e conturbado da Capital Porto Príncipe. No site do Viva Rio encontramos informações a cerca das atividades no Haiti, como o filme “Ponto Forte” o qual foi produzido pela ONG em parceria com a CI Op Paz e retrata o cotidiano dos militares brasileiros no Haiti.
Bom, feita esta introdução para que o leitor pudesse se situar a respeito do tema, passo a falar sobre o objeto principal deste post. Esta semana durante conversa com um professor na faculdade de direito ele me relatou que esteve em um seminário em Brasília, no dia 04 de novembro, onde teve a oportunidade de conversar com Antonio Rangel Bandeira, um dos coordenadores do Viva Rio, o qual comentou, entre outras coisas, que havia apresentado um projeto ao Ministério da Justiça para que o treinamento dos policiais brasileiros enviados para missões de paz da ONU passe a ser realizado pela SENASP. Segundo o meu professor, o projeto estaria bem avançado.
Aguardemos os desdobramentos!

2 comentários:

José Vicente disse...

Caro irmão Marco,

Sempre fui favorável à SENASP na seleção das Forças de Paz, sendo que inclusive já conversei sobre isso na SENASP, onde faço parte da comissão do Policiamento de Fronteiras.

Cap Marco disse...

Boa Notícia Contingent Commander!
Pelo menos agora temos certeza de que alguém com conhecimento de causa está próximo das pessoas que por ventura venham a tomar qualquer decisão sobre o tema.

Cap Marco