terça-feira, 2 de novembro de 2010

Dia de Homenagear heróis brasileiros

Hoje no Brasil e em vários países latino-americanos é celebrado o dia dos finados, momento de reflexão e de homenagens destinadas à memória dos entes queridos que já nos deixaram. Este ano devemos também dedicar este dia à lembrança das vítimas do trágico terremoto que atingiu o Haiti em 12 de janeiro de 2010. Em especial, devemos enaltecer aos brasileiros boinas azuis que tombaram no cumprimento de sua nobre missão. Nas fotos abaixo podemos ver o monumento erguido no BRABATT (Brazilian Battalion), Porto Príncipe, em homenagem aos heróis brasileiros.

O local, como não poderia deixar de ser, virou ponto de visitação obrigatório para os UNPOLs brasileiros que estão trabalhando atualmente no Haiti, como no caso do Capitão PMAM Fábio Honda Nascimento e do Tenente PMPE Ricardo Phillipe Couto de Araújo. O Capitão Honda aparece na primeira foto abaixo juntamente como o Coronel EB Rêgo Barros e o Coronel EB Silva Filho, os quais, na época em que a foto foi tirada, eram respectivamente o Cmt e o Chefe da Comunicação Social do Brabatt. Na foto seguinte podemos ver o Tenente Couto no dia em que esteve prestando suas homenagens às vítimas, muitas das quais eram amigos próximos, quer seja pelo convívio no curso no CIOPPAZ, ou mesmo pelo trabalho diário no Prédio do QG da MINUSTAH.


Nas fotos seguintes podemos visualizar detalhes do monumento composto por pequenas caixas com fragmentos dos escombros dos locais onde militares estavam prestando serviço no momento do terremoto. Os três locais são o QG da MINUSTAH, o Forte Nacional (Base brasileira encravado na favela de Belair) e a Casa Azul (Ponto de controle existente na entrada da favela de Cité Soleil). Na parte superior de cada caixa encontramos o nome das vítimas.
Por fim, não podemos deixar de render nossas homenagens ao amigo Capitão PMDF Cleiton Neiva, o qual pereceu sob os escombros do QG da MINUSTAH, o Hotel Cristhoper, quando desempenhava a função de Chefe da Segurança das instalações da ONU e coordenador das equipes de segurança das autoridades que se entravam no local. Bem como, ao Deputy SRSG, o brasileiro Luiz Carlos da Costa, o qual era a mais alta autoridade brasileira em atuação em missões de paz em janeiro de 2010.

A todos esses heróis brasileiros as nossas sinceras homenagens!

9 comentários:

O Pacificador disse...

Meu Caro amigo Marco,
Estou de CTO no Brasil ate dia 17 desse mes e fui pego de surpresa pela sua homenagem justa,aos nossos queridos amigos que tombaram no cumprimento do dever, na defesa da paz mundial...So queria agradecer pela lembranca pois ate hoje, sinceramente, sinto muita falta dos nossos irmaos boinas azuis...Que estejam em paz e que nos protejam la de cima, grande abraco.

Ricardo Couto -1 TEN QOPMPE
k9 Unit Team Leader
Deputy Team Leader Narcoticos

George Felipe disse...

Cuidadoso Capitão Marco:

Não poderia ficar mais feliz em verificar seu cuidado com os irmãos de missão tombados no cumprimento do dever no Haiti.

Não menos feliz fiquei em verificar também o destaque dado por você ao nosso irmão PMDF Cleiton Batista Neiva e ao também brasileiro Luiz Carlos da Costa, ambos tombados no Haiti em nome da causa da paz internacional.

É a chama que nunca de apaga sendo mantida por seus "cuidadores". Toda honra e reverência para sempre aos nossos heróis. É a nossa história sendo carregada para o futuro por seus "cuidadores". A eles nosso reconhecimento e gratidão.

Professor George Felipe de Lima Dantas
(Tenente Coronel QOPM/Ref PMDF)

Sant'Anna disse...

Excelente, pertinente e extremamente oportuno.

Parabéns pela chance que nos dá de lembrarmos o quão importante são nossos heróis. Muitos brasileiros não o fazem, esquecem-se disso e, infelizmente, não possuem a cultura de realizar tal ato.

Sua postura pode ser o início de uma mudança de grande valor para cada um de nós.

Abraço,

Ten Cel PMDF Sant'Anna
Veterano de Angola e Timor

Cap Marco disse...

Agradeço as palavras de incentivo dos amigos TCel Dantas, TCel Sant'Anna e do Tenente Couto. Entendo como muito importante conservarmos a memória de nossos heróis boinas azuis.

Cap Marco
Brigada Militar
Veterano do Haiti

Capitão Bassalo disse...

Caro Marco, até hoje não consegui me recuperar desse fato, as vezes chego a sonhar que ainda estou lá, ter chegado no Brasil dois dias antes do terremoto, me remetem a dois sentimentos bem distintos, o primeiro é de alívio pelo fato de Deus ter me dado esse livramento, o segundo é de angústia, por não ter estado lá com os demais companheiros para ajudar. Que Deus guarde as almas de todos que perderam suas vidas naquela tragédia.

José Vicente disse...

Meu irmão Marco,

Quando soube do terremoto no Haiti estava de férias no RJ e parecia para mim que o terremoto havia sido em Belém, minha terra natal. O Haiti sempre será para nós uma segunda pátria, um lugar onde nos sentimos em casa também. Os nossos amigos que morreram no terremoto sempre viverão em nossas memórias, pois eram pessoas excelentes e de grande caráter.

algenor filho disse...

Caro Amigo Marco, fiquei muito feliz ao ler sobre a homenagem aos nossos amigos que tombaram no cumprimento do dever, aqui no Haiti, mas principalmente pelos comentários que li aqui no seu blog; quando leio ou vejo algo relativo ao 12 de Janeiro de 2010, um milhão de pensamentos e sentimentos passam em minha cabeça e em meu coração, é uma sensação bastante complexa a qual não sei explicar, um pouco de felicidade por não estar dentro do prédio na hora do terremoto, que logo em seguida e substituída pela duvida de quem sabe se eu estivesse lá, poderia ter ajudado alguém? ou não?
No entanto caro amigo, o mais importante de tudo isso, foi à atitude positiva por parte de todas aquelas pessoas que se uniram na esperança e no esforço de resgatar nossos amigos e irmãos, foi muito gratificante ver o quanto o ser humano pode ser solidário, esquecer suas fraquezas e seus sentimentos pessoais, em nome de um objetivo nobre e maior, resgatar vidas, não importando se suas próprias estivessem em risco, faz você acreditar ainda mais na capacidade de superação do ser humano!
Presenciei 42 países unidos por em um só objetivo, negros, brancos, cristãos, muçulmanos, árabes e judeus trabalhando lado a lado, recolhendo pedras e escombros com as próprias mãos, pois não podíamos utilizar as maquinas do batalhão de engenharia no começo dos resgates, o risco de deslizamento dos escombros em direção a área da piscina era um fantasma real, nesses dias de resgate me senti orgulhoso de fazer parte e entendi, de verdade, o significado das palavras NAÇÕES UNIDAS.
Foram vários dias de esforços e superações, que eram recompensados a cada resgate, com vida, de pessoas que se encontravam em meio aos escombros, que por um milagre, puderam retornar para junto de seus entes queridos, este fato por si só, alivia um pouco a dor de nossas perdas, que não foram poucas, mas que deixou um grande vazio impossível de ser preenchido ou reparado!
Esta homenagem é mais do que justa a essas pessoas bem como demonstra respeito aos familiares, pais, mães, esposas, filhos e amigos daqueles que doaram suas vidas lutando por um mundo melhor, tenho muito orgulho de ter combatido ao lado desses bravos e anônimos heróis, muito orgulho de ter encontrado forças na minha dor para continuar firme em meus objetivos e na luta de meus amigos que aqui vieram e aqui ficaram, sei que eles agora estão lutando outras batalhas ao lado de Deus Nosso Pai, sei que de lá estão olhando por todos nós, VIDA LONGA A TODOS ELES, pois estarão sempre em nossos corações e em nossas lembranças!

Porto Príncipe 22 de Novembro de 2010.


Capitão Algenor Teixeira Filho
Sobrevivente de 12/01/10

algenor filho disse...

Caro Amigo Marco, fiquei muito feliz ao ler sobre a homenagem aos nossos amigos que tombaram no cumprimento do dever, aqui no Haiti, mas principalmente pelos comentários que li aqui no seu blog; quando leio ou vejo algo relativo ao 12 de Janeiro de 2010, um milhão de pensamentos e sentimentos passam em minha cabeça e em meu coração, é uma sensação bastante complexa a qual não sei explicar, um pouco de felicidade por não estar dentro do prédio na hora do terremoto, que logo em seguida e substituída pela duvida de quem sabe se eu estivesse lá, poderia ter ajudado alguém? ou não?
No entanto caro amigo, o mais importante de tudo isso, foi à atitude positiva por parte de todas aquelas pessoas que se uniram na esperança e no esforço de resgatar nossos amigos e irmãos, foi muito gratificante ver o quanto o ser humano pode ser solidário, esquecer suas fraquezas e seus sentimentos pessoais, em nome de um objetivo nobre e maior, resgatar vidas, não importando se suas próprias estivessem em risco, faz você acreditar ainda mais na capacidade de superação do ser humano!
Presenciei 42 países unidos por em um só objetivo, negros, brancos, cristãos, muçulmanos, árabes e judeus trabalhando lado a lado, recolhendo pedras e escombros com as próprias mãos, pois não podíamos utilizar as maquinas do batalhão de engenharia no começo dos resgates, o risco de deslizamento dos escombros em direção a área da piscina era um fantasma real, nesses dias de resgate me senti orgulhoso de fazer parte e entendi, de verdade, o significado das palavras NAÇÕES UNIDAS.
Foram vários dias de esforços e superações, que eram recompensados a cada resgate, com vida, de pessoas que se encontravam em meio aos escombros, que por um milagre, puderam retornar para junto de seus entes queridos, este fato por si só, alivia um pouco a dor de nossas perdas, que não foram poucas, mas que deixou um grande vazio impossível de ser preenchido ou reparado!
Esta homenagem é mais do que justa a essas pessoas bem como demonstra respeito aos familiares, pais, mães, esposas, filhos e amigos daqueles que doaram suas vidas lutando por um mundo melhor, tenho muito orgulho de ter combatido ao lado desses bravos e anônimos heróis, muito orgulho de ter encontrado forças na minha dor para continuar firme em meus objetivos e na luta de meus amigos que aqui vieram e aqui ficaram, sei que eles agora estão lutando outras batalhas ao lado de Deus Nosso Pai, sei que de lá estão olhando por todos nós, VIDA LONGA A TODOS ELES, pois estarão sempre em nossos corações e em nossas lembranças!

Porto Príncipe 22 de Novembro de 2010.


Capitão Algenor Teixeira Filho
Sobrevivente de 12/01/10

algenor filho disse...

Caro Amigo Marco, fiquei muito feliz ao ler sobre a homenagem aos nossos amigos que tombaram no cumprimento do dever, aqui no Haiti, mas principalmente pelos comentários que li aqui no seu blog; quando leio ou vejo algo relativo ao 12 de Janeiro de 2010, um milhão de pensamentos e sentimentos passam em minha cabeça e em meu coração, é uma sensação bastante complexa a qual não sei explicar, um pouco de felicidade por não estar dentro do prédio na hora do terremoto, que logo em seguida e substituída pela duvida de quem sabe se eu estivesse lá, poderia ter ajudado alguém? ou não?
No entanto caro amigo, o mais importante de tudo isso, foi à atitude positiva por parte de todas aquelas pessoas que se uniram na esperança e no esforço de resgatar nossos amigos e irmãos, foi muito gratificante ver o quanto o ser humano pode ser solidário, esquecer suas fraquezas e seus sentimentos pessoais, em nome de um objetivo nobre e maior, resgatar vidas, não importando se suas próprias estivessem em risco, faz você acreditar ainda mais na capacidade de superação do ser humano!
Presenciei 42 países unidos por em um só objetivo, negros, brancos, cristãos, muçulmanos, árabes e judeus trabalhando lado a lado, recolhendo pedras e escombros com as próprias mãos, pois não podíamos utilizar as maquinas do batalhão de engenharia no começo dos resgates, o risco de deslizamento dos escombros em direção a área da piscina era um fantasma real, nesses dias de resgate me senti orgulhoso de fazer parte e entendi, de verdade, o significado das palavras NAÇÕES UNIDAS.
Foram vários dias de esforços e superações, que eram recompensados a cada resgate, com vida, de pessoas que se encontravam em meio aos escombros, que por um milagre, puderam retornar para junto de seus entes queridos, este fato por si só, alivia um pouco a dor de nossas perdas, que não foram poucas, mas que deixou um grande vazio impossível de ser preenchido ou reparado!
Esta homenagem é mais do que justa a essas pessoas bem como demonstra respeito aos familiares, pais, mães, esposas, filhos e amigos daqueles que doaram suas vidas lutando por um mundo melhor, tenho muito orgulho de ter combatido ao lado desses bravos e anônimos heróis, muito orgulho de ter encontrado forças na minha dor para continuar firme em meus objetivos e na luta de meus amigos que aqui vieram e aqui ficaram, sei que eles agora estão lutando outras batalhas ao lado de Deus Nosso Pai, sei que de lá estão olhando por todos nós, VIDA LONGA A TODOS ELES, pois estarão sempre em nossos corações e em nossas lembranças!

Porto Príncipe 22 de Novembro de 2010.


Capitão Algenor Teixeira Filho
Sobrevivente de 12/01/10