quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

MINUSTAH: End of Mission do Tenente PMPE Couto

No próximo domingo (26) o 1º Tenente Ricardo Phillipe Couto de Araújo, da Polícia Militar do Estado de Pernambuco, deverá iniciar sua viagem de regresso ao Brasil após cumprir 12 meses de serviço na Missão de Paz da ONU no Haiti - MINUSTAH. Durante este período pudemos acompanhar, através do blog, as atividades do Tenente Couto em Porto Príncipe e constatamos, mesmo à distância, que esse Oficial soube muito bem representar sua corporação policial, seu Estado e o Brasil perante a comunidade de nações que integram a missão no Haiti.
Com certeza estes meses, passados em terras caribenhas, jamais sairão da memória do Tenente Couto. O seu trabalho já foi reconhecido e documentado através de um elogio feito pelo Comandante do Contingente Policial brasileiro no Haiti, Capitão Algenor, da Polícia Militar do Estado do Amazonas, o qual foi enviado ao COTER e ao comando da PMPE.
Como forma de também prestar nossas homenagens a este valoroso policial brasileiro, faremos abaixo um breve relato da estada do Tenente Couto no Haiti.

O INÍCIO

Ao chegar a Porto Príncipe em dezembro de 2009, o Tenente Couto ainda teve oportunidade de conviver por alguns dias com o Capitão Bassalo, da Polícia Militar do Estado do Pará, e o Tenente Heberton, da Polícia Militar do Distrito Federal, os quais estavam concluindo seu tour of duty na MINUSTAH. Na foto abaixo podemos ver, da esquerda para a direita, o Capitão Bassalo, o Tenente Heberton, o Tenente Couto e o Capitão Algenor. O registro foi feito momentos antes de se dirigirem ao aeroporto.

Logo após sua chegada, em virtude da sua qualificação técnica em cinofilia, o Tenente Couto foi designado para instalar e comandar a primeira unidade de policiamento com cães da MINUSTAH, a K9 Unit, conforme relatamos em 06 de janeiro de 2010. O trabalho incluiu o treinamento dos policiais haitianos para realizarem atividades com cães farejadores no aeroporto Internacional Toussaint Louverture, conforme podemos ver nas fotos abaixo. A segunda foto mostra a equipe da K9 Unit formada pelo Tenente Couto, um UNPOL americano e dois policias haitianos. Já a terceira foto mostra os policiais haitianos em atividade vistoriando bagagens no terminal de desembarque de passageiros da empresa America Airlines:

O TERREMOTO

Com pouco de tempo de missão o Tenente Couto enfrentou o maior de seus desafios: o terremoto de 12 de janeiro de 2010. Muito embora estivesse próximo ao aeroporto no momento do terremoto, o Tenente Couto integrou uma das primeiras equipes a chegar no Hotel Christoper, a então sede da MINUSTAH, necessitando enfrentar parte do deslocamento à pé, pois os destroços impediam o avanço das viaturas. Ao chegar no que restou do imponente prédio-sede da ONU, o Couto participou ativamente do resgate de vítimas dos escombros, em especial do Tenente Coronel Alexandre, do Exército Brasileiro, integrante do Estado Maior do Force Commander. Com especialização em ações de resgate, o Tenente Couto tomou a frente das ações e permaneceu durante aproximadamente 4 horas e meia sob os destroços, a três metros da superfície, até o salvamento do Oficial do EB, mesmo com a ameaça de ser soterrado em virtude dos tremores secundários que se sucederam, conforme a foto abaixo:Além da sede da MINUSTAH, o Tenente Couto participou ativamente nos trabalhos de resgate nas ruínas do Hotel Montana, residência oficial de muitos membros do Alto Escalão da Missão. Neste período, o Ten Couto manteve familiares e amigos informados sobre os acontecimentos através do envio de relatos a este blog e ao blog do Capitão Carrera. Publicamos estes relatos nos dias 18 de janeiro e 04 de fevereiro. Bem como publicamos em 19 de janeiro a informação e o link de que o Ten Couto aparecia em vídeo postado no Youtube auxiliando no resgaste do último sobrevivente dos escombros do Hotel Cristhoper.

O TRABALHO UNPOL

Passada a fase de resgates, a preocupação dos integrantes da UNPOL passou a ser a recaptura de mais de 4.000 apenados que fugiram da Penitenciária Nacional no dia do terremoto, bem como a manutenção da tranquilidade e segurança nos inúmeros acampamentos de desabrigados que surgiram em Porto Príncipe. Como podemos ver nas fotos seguintes, as quais foram tiradas em pontos distintos do bairro de Bel Air, sendo a primeira durante uma patrulha noturna e a segunda, em frente aos destroços da Catedral de Porto Príncipe, os trabalhos foram intensos e sob condições precárias:



No período que se seguiu ao desastre, o Haiti foi visitado por inúmeras autoridades e artistas, todos em missão humanitária. Na sua grande maioria, coube ao Tenente Couto e aos demais policiais brasileiros integrarem as equipes de segurança dessas pessoas. Como no caso das fotos abaixo, onde podemos ver o Capitão PMERJ Tadeu e o Tenente Couto junto à cantora Cristina Aguillera em frente ao Aeroporto Internacional Toussaint Louverture. Ou a segunda foto onde ambos aparecem ao lado do ator Sean Penn no Brazilian Battalion - BRABATT.
Outra experiência importante foi o contato aproximado, durante todo o ano, com integrantes da diplomacia brasileira, como no caso da foto abaixo, onde vemos todos os UNPOLs do Contingente Policial Brasileiro (Cap Algenor, Cap Honda, Cap Tadeu e Tenente Couto) junto ao Embaixador Igor Kipman.A proximidade com os militares brasileiros integrantes do BRABATT possibilitou que a atividade física, necessária para combater o stress do dia-a-dia, não fosse prejudicada no transcorrer do ano. Sempre que o trabalho permitia, o tenente Couto e os demais brasileiros (na foto está o Capitão Honda) utilizavam a academia "Brasil" instalada no interior do Batalhão de Infantaria de Paz do Brasil em Porto Príncipe.

O ano foi de intenso trabalho para os policiais brasileiros no Haiti, a convivência diuturna com policiais oriundos de mais de 40 países, participando de operações policiais no terreno, reuniões de trabalho, treinamentos e confraternizações, possibilitou ao Tenente Couto obter uma experiência incomensurável, tanto no campo pessoal, quanto no cultural e no profissional. O trabalho policial foi encerrado com uma missão muito importante: participar do planejamento e execução da segurança nas eleições presidenciais haitanas (foto - Ten Couto em pé à esquerda) ocorridas no final do mês passado e que se encontram em fase de preparação para o segundo turno que ocorrerá em janeiro de 2011.


A MEDALHA

Por fim, estes 12 meses de árduo trabalho na Missão de Paz da ONU no Haiti foi coroado com o recebimento da Medalha das Nações Unidas "In The Service of Peace" na maior cerimônia de Medal Parade realizada na MINUSTAH. Foram aproximadamente 1300 militares brasileiros agraciados e mais os quatro UNPOLs do nosso contingente policial. Na foto abaixo podemos ver os Oficiais brasileiros (da esq. para dir. - Cap Honda, Cap Tadeu e Ten Couto) perfilados juntos aos militares no pátio de formaturas do BRABATT.

Embora este breve relato das atividades do Tenente Couto durante os 12 meses em que esteve no Haiti não consiga abranger todas as suas realizações, acredito que sirva para que os leitores tenham uma idéia das várias situações que este Oficial vivenciou neste ano de 2010. Mesmo que ainda não o conheça pessoalmente, mas em virtude dos textos que nos enviou e do sentimento do dever cumprido que ele demonstra, acredito que o Couto tenha sido picado pela "mosca azul" das missões de paz e já esteja planejando, para o desespero dos familiares (rsrsrsrs....), qual a próxima Peacekeeping Operations que irá integrar.

Parabéns Couto, por todas as tuas vitórias em nome da paz!

2 comentários:

Ricardo Couto disse...

Meu Caro amigo e Cap Marcos, simplesmente nao tenho palavras para agradecer tamanha dedicacao a verdade de suas palavras..pois pelo seu blog pude ver com meus proprios olhos um flsh imediato de um ano de missao aqui no Haiti...Para quem nao sabe ainda qual a sensacao e a importancia na vida de cada um dos Peacekeepers Operators, eu informo que se nao fosse o blog do Marcos , assim como o do nosso amigo Carrera, nao teriamos um "link" direto com nossas familias e amigos no Brasil...Meu caro amigo, de coracao, MUITO OBRIGADO POR TUDO, vc e o Carrera estao de parabens pela forma com que fazem esse jornalismo virtual voltado para as missoes de paz...Pela minha corporacao, pelo meu Estado, pelo nosso Pais e principalmente pelos nossos amigos que faleceram no Haiti, realmente eu fui picado mesmo pela mosca azul, rsss...Espero voltar logo pra ca ou pra qualquer outro Territorio internacional que o Coter me mandar , seja ano que vem ou nos proximo...Agora eu vou apanhar quando chegar em ksa da minha mae, poutz , to ferrado..rsss....Avante Boinas Azuis...MINUSTAH PRA SEMPRE

Cap Marco disse...

Couto

Na verdade quem tem que agradecer somos nós, pois se não fosse a colaboração de vocês que estão em missão, quer seja nos enviando textos e relatos, ou autorizando o uso de suas fotos, nós não teríamos condições de fornecer informações tão realistas e atuais, como fizemos no decorrer deste ano.
Grande abraço e um Feliz Natal e Próspero Ano Novo para todos que estão em missão neste dia, longe de seus familiares e amigos, prestando um relevante serviço à humanidade.