sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Timor Leste: Capitão Rodrigo Campos desempenha atividades importantes no Departamento de Pessoal da UNPOL

Ainda dentro do tema do post de ontem, as funções desempenhadas pelos policiais nas Missões de Paz da ONU, falarei hoje sobre uma das funções que eu costumo definir com sendo um trabalho de “foco interno” da missão. Ou seja, funções administrativas importantes para o bom funcionamento de uma Missão de Paz.
As funções administrativas existem para que os UNPOLs que trabalham com “foco externo” (monitoramento, patrulhamento e operações) tenham a tranquilidade necessária para desempenharem suas funções. Funciona como qualquer Batalhão ou unidade policial brasileira, é necessário uma estrutura de logística e de administração forte para que os policiais que executam as atividades de policiamento as executem com mais eficiência.
Para exemplificar uma dessas funções administrativas abordarei o trabalho desenvolvido por um de nossos policiais na Missão de Paz da ONU no Timor Leste – UNMIT, o Capitão Rodrigo Camargo Campos, da Polícia Militar do Distrito Federal – PMDF. O Capitão Rodrigo está em sua segunda missão no Timor Leste. A experiência adquirida em seu primeiro tour of duty na UNMIT, entre 2008 e 2009, conforme texto publicado aqui no blog no dia 14 de dezembro de 2010 (clic sobre a data para ler o texto na íntegra), bem como o profundo conhecimento sobre a estrutura e funcionamento da Missão de Paz da ONU no Timor Leste proporcionaram ao Capitão Rodrigo assumir função administrativa de destaque logo após a sua chegada à capital timorense. Em pouco mais de dois meses de trabalho o oficial brasileiro alcançou a função de Team Leader da DRU (Deployument and Rotation Unit). Esta unidade está inserida no centro administrativo da missão, pois é responsável por gerenciar diversas atividades relativas ao efetivo da UNPOL/FPU (Formed Police Unit) em todos os departamentos, unidades e seções dos 13 distritos do Timor Leste.
Entre suas atribuições está a distribuição dos novos UNPOLs em suas respectivas unidades logo após o treinamento inicial, o deployment. Bem como as transferências entre as diversas unidades policiais da UNMIT, denominadas de redeployment. A unidade também é responsável pelo processo de repatriação de UNPOLs por motivos disciplinares, de saúde e outros (Early Repatriation), Concessão de períodos extras de missão, as denominadas Extensões (Tour Of Duty Extensions & Technical Extensions), e todo o processamento da documentação atinente ao final de missão dos policiais, o End Of Mission. Esse trabalho é desenvolvido em coordenação com as demais unidades do Departamento de Pessoal da UNPOL/UNMIT (Data Base Unit, National Staff Unit, Induction Training Unit) e em estreita ligação com o Departamento de Operações de Paz – DPKO – em Nova York.
Outra importante função da DRU é a designação de policiais para cargos e funções prioritárias (Key Positions) dentro da estrutura United Nations Police. Estas designações são feitas mediante processo seletivo interno no qual os candidatos, além de passarem por uma avaliação prévia de currículo, são submetidos a entrevistas por uma comissão, conforme as fotos abaixo, onde podemos ver o Capitão Rodrigo como membro da comissão avaliadora em algumas dessas entrevistas.

Após realizar suas funções com o êxito esperado na DRU, o capitão Rodrigo Campos passou a integrar a Induction Training Unit, outra unidade do Departamento de Pessoal, responsável pela recepção e treinamento dos novos UNPOLs. Mas este é um assunto para um dos próximos posts.

Excelente final de semana a todos!

Um comentário:

Valdemir disse...

Parabéns Rodrigo Campos!
Você reforça o orgulho que temos de todos os brasileiros que desempenham com profissionalismo e dedicação as suas missões, consagrando o bom conceito que os brasileiros ja gozam por suas atuações nas diversas missões.
TC Valdemir