domingo, 14 de fevereiro de 2010

Capitão Hoffmann escreve sobre ética e preparo técnico-profissional para uma Missão da ONU

O Capitão Arnaldo Hoffmann Neto (APM-RS/1995) completou 9 meses de serviço na Missão de Paz das Nações Unidas no Timor Leste. A experiência vivenciada no dia-a-dia em Dili proporcionou ao Capitão Hoffmann angariar conhecimento sobre algumas questões importantes que devem ser levadas em consideração pelo futuro UNPOL. No texto abaixo encontramos informações relevantes a respeito de ética e preparo técnico-profissional.

"Preparo ético e técnico-profissional para Missão da ONU
Ainda preocupado com os futuros missioneiros e já com alguma bagagem de experiência em Missão de Paz, veio a necessidade de redigir algo sobre esse tema, que é de suma importância. Por sorte aqueles que frequentaram Academias de Polícias Militares não terão problemas quanto a isso mas vale a pena lembrar por pura precaução, afinal, cautela nunca é demais.
Comecemos pela ética. É de bom alvitre observar mais do que falar. Afinal o ambiente de Missão é multicultural e observa-se todos os dias uma imensa gama de atitudes e valores que nos são estranhos. Não são errados, são apenas diferentes dos nossos. Devemos lembrar que outras pessoas de outras culturas nos observam também e nos julgam. É importante então, não expor comentários, revelar dados de trabalho, especialmente se forem desairosos ou negativos; não opinar a respeito de autoridades, como por exemplo, atos do Comandante da Polícia Local, justamente pelas diferenças existentes entre procedimentos. Ser discreto e demonstrar profissionalismo é sempre recomendável.
Por outro lado, e não menos importante, temos o preparo técnico-profissional. Todos nós dominamos a leis e regramentos aos quais estamos vinculados. Temos a “nossa” noção do que é certo ou errado. Estando em outro país, deparamo-nos com situações inusitadas, pois o sentimento de certo e errado não é exatamente o mesmo, por questões de costume, cultura, religião, e até mesmo geo-climáticos, portanto, ter conhecimento das leis vigentes no país é importante.
Estamos, como “Peacekeepers” sobordinados a SOP (Standard Operational Procedures). Esse documento trata das nossas obrigações enquanto integrantes da ONU, de maneira que é indispensável ser sabedor do tema.
Tudo isso serve para que o profissional possa exercer suas funções com tranqüilidade e possa render mais para a manutenção da paz, além de evitar dissabores como, por exemplo, tomar atitudes que venham de encontro aos interesses positivos de bem representar o Brasil.
Indo para a prática: temos no nosso país um problema que é a circulação de produtos falsificados, ou piratas; embora muitos sejam os esforços para a minimização desse problema. Em países onde está instalada uma missão da ONU pode também ocorrer tal situação. Portanto devem ser analizados todos os produtos adquiridos e expostos.
Com efeito, nas Nações Unidas é comum a troca de lembranças de países entre as pessoas, portanto, presentear com produtos piratas não é algo que seja tolerável, especialmente se os recebedores forem autoridades. As conseqüências podem ser desagradáveis. Como foi dito no início, este texto tem o intuito de precaver e tornar mais aptos os futuros integrantes de uma “UN Mission”.
Espero ter colaborado com os futuros “Peacekeepers”.
Viva a Brigada! “A Gloriosa”

20 comentários:

Anônimo disse...

Que ridiculo seu post Capitao!

Cap Marco disse...

Caros Leitores
Este é um espaço democrático no qual as críticas são sempre bem vindas. No entanto entendo que a crítica feita de maneira generalizada e de forma anônima não seja a mais apropriada. Todos tem o direito de expressar suas opiniões.

Anônimo disse...

Obrigado pela crítica

Esclareço que o texto foi escrito baseado em fatos reais que têm gerado algum desconforto. Percebo que ainda estão gerando efeitos. Embora o crítico seja anônimo, é possível saber que ele não está no Brasil, pela maneira como escreveu as palavras com erros ortográficos. Na verdade, sabemos quem é, por causa de problemas decorrentes dos mesmos fatos. O importante mesmo é que aqueles que lerem o texto serão menos propensos a cometerem os mesmos erros.
Um abraço especial ao meu crítico. Nos vemos em Dili
Cap Hoffmann

Augusto Vilaça disse...

O anonimato é a pior das covardias, quem tem coragem em embasamento, diz o que quer, ou melhor, o que deve, sem se esconder.

Quem se limita a dizer que o texto é ridículo sem, como diz o dito popular: "dar a cara à tapa", não se mostra digno sequer de abrir a boca, já que não confia no próprio histórico nem demonstra capacidade técnica, profissional e muito menos ética para criticar.

Aliás, a mesma capacidade ética que foi tão bem retratada no texto.

O texto é, sim, baseado em fatos reais que muitos de vocês devem ter conhecimento e que, infelizmente, concorreram para macular a imagem do Brasil e de seus profissionais na Missão da ONU aqui no Timor Leste.

Mas fiquem certos de que nós, os que realmente nos preocupamos com a causa e a imagem da Nação, estamos fazendo o nosso melhor para reverter esse quadro.

Por fim, acrescento que as atitudes covardes que vimos e vivenciamos acontecerem aqui, bem como o "belíssimo e profundo" comentário do "Anônimo", não são merecedores sequer do meu desprezo.

Para os que não conhecem, segue um trecho da Oração dos Forças Especiais:

"E nunca envergonhemos a nossa fé, as nossas famílias ou os nossos camaradas".

CAVEIRA!

Cap PMPE VILAÇA
UNPOL - UNMIT

Anônimo disse...

Parabéns pelo Blog. Permitam-me fazer uma análize do primeiro comentário: Bem, o texto principal fala justamente de ética e profissionalismo. Ora, o crítico se esconde e se detém simplesmente a ofender sem aduzir um unico fato ou raciocínio relevante. Além disso não escreve corretamente nem pontua adequadamente. Penso que o alvo do texto principal era mesmo o proprio crítico. Interessante. Penso também que nao é preciso ter medo de criticar. A oposição é necessária e se feita com razão pode vir identificada. Eu, sendo mulher e Policial Militar, fico decepcionada ao ver tal demonstração de despreparo. No entanto, parabenizo o Cap Arnaldo pelo texto.

Iara, DF

Capitão disse...

Ao Hoffman e Vilaça:
...E pior, para quem é veterano de missão, sabe que o texto foi digitado de um PC da própria ONU(sem config. para o português). Ridículo foi ainda ter comentado!!!! como anônimo!!!!!
aos demais, keep on the good work!!!!
Cap PMPA Bassalo- MINUSTAH 2009/2010
BPchoque/PMPA

Anônimo disse...

Senhres. Utilizo-me novamente desse espaco para estressar alguns pontos e justificar meu posicionamento em relacao ao texto do capitao, que redigiu de maneira exagerada, como e de seu costume: as vezes somos mal interpretados em nosso falar, especialmente quando querem interpretar mal. Alem disso, foi preciso preparar uma entrega de medalhas quase que so, pois meu deputy nao tinha forca nem de lideranca para ajudar a conduzir o grupo de brasileiros da casa, que alias nunca foram cooperativos. Por conta disso tive que tomar decisoes por minha conta, como presentear autoridades, que alias ficaram muito gratas. Vamos parar de hipocrisia. Quem em casa nao tem produtos nao oficiais? Quem nao tiver pode julgar. Alem disso e sabido que a venda desses produtos sustentam muitas familias no Brasil. Sei que muitos concordam comigo e serao solidarios quando solicitados. Aos que apoiam o capitao, que e tao dentro da lei, boa sorte. A senhora policial que postou um comentario, sugiro cuidar mais de SUA familia. Obrigado e espero compreensao

Anônimo disse...

Dexa ver, se sou loira ou estou loira... Nossa, senhor "anônimo", quer dizer que VOCÊ mesmo tomou a deliberação de ofertar produtos piratas às autoridades do Timor Leste? Não seria por isso que seus colegas discordavam da ideia e não colaboraram? Bonito isso para um policial militar. GOSTEI do EXEMPLO! Mas essa mesma informalidade não alimenta e o crime organizado e o narcotráfico no Brasil? Ou aquelas campanhas do Governo Federal são sem sentido?
Mas, espere ai, se você menciona seu deputy, é por que deve ser superior a ele.
Hummm quem será você "anônimo"?
São tantas opções, não é mesmo?

Augusto Vilaça disse...

É mesmo muito fácil se esconder sob o manto do anonimato, mas todos nós sabemos que é o célebre "Anônimo", resta-nos saber se ele tem coragem suficiente para assinar o que diz, já que é tão consciente de que sempre esteve certo e que foi apenas mal interpretado. O senhor mesmo deixa margem para essas interpretações quando nem assume as próprias palavras.
Ah, concordo com as palavras ditas acima: "VOCÊ mesmo tomou a deliberação de ofertar produtos piratas às autoridades do Timor Leste? Não seria por isso que seus colegas discordavam da ideia e não colaboraram? Bonito isso para um policial militar. GOSTEI do EXEMPLO! Mas essa mesma informalidade não alimenta e o crime organizado e o narcotráfico no Brasil? Ou aquelas campanhas do Governo Federal são sem sentido?"
Que belo exemplo... não sei se o ensinaram na Academia de Formação que um erro não justifica o outro, em especial partindo de alguém que tem a obrigação funcional de combatê-lo.

Anônimo disse...

Leitores.

Tenho acompanhado esse blog e agora mais ainda pela efervecência que se formou em redor do último texto, que não é brilhante mas é funcional; acredito. Como experiente escritor.
Deixo de me identificar em virtude de minha linhagem ser conhecida tanto no Brasil como na Europa. Poderia também utilizar meu "nick name" ou pseudônimo, com o qual assino minhas obras, contudo penso que, como também é muito conhecido, especialmente dentro do público feminino, seria uma exposição desnecessária.

Após o breve prelúdio, proponho uma reflexão: Muito foi falado mas; o que realmente é força, fraqueza, bondade, maldade? Bem, penso que bondade e força estão conjugadas e tudo o que se faz ou se deixa de fazer, para o bem, é força, mesmo que não entendam. Ao passo que o contrário, também é verdadeiro. Na esteira desse raciocínio, temos vários exemplos do que foi feito para o mal e para o bem, especialmente aqui no Timor. Experimentamos uma pessoa desqualificada, sem inteligência e má. Sabemos quem é.
Vivenciamos também os que se travestiram de fracos para protegerem suas virtudes e os hierarquicamente inferiores. As vezes nao nos apercebemos disso. Pensem nisso meus leitores!

Parabenizo a todos pela discussão e gostaria aqui de elevar a única Policial Feminina que, com suas duas intervenções, abrilhantou o forum. Gostaria de entrar em contato com voce se possível. Sei que merece alguém de bom caráter ao seu lado.
Saudações

Ricardo Phillipe Couto de Araújo - UNP 03782 MINUSTAH disse...

Caríssimos Boinas azuis (Algumas até bem mais azuis do que outras), passei por situações que jamais minha fértil imaginação seria capaz de me colocar, vi mais mortes do que algumas guerras que já ocorreram no mundo, perdi amigos que inclusive também foram seus amigos tendo em vista que todos nós nos conhecemos durante o Curso da CIOPAZ no Rio de Janeiro ( Com exceção de eu e o Capitão Vilaça, claro pois somos do mesmo Estado e da mesma Polícia, PMPE)Estive no céu (Fernando de Noronha), cai e fui pro Inferno(Haiti durante catástrofe) e agora confesso aos senhores que neste momento não sei onde estou, deve ser no limbo ou algum lugar parecido( Haiti pós catástofre) e sinceramente eu vos digo sem medo de errar, mesmo com tudo que passei EU, TENENTE RICARDO COUTO - MINUSTAH, dou graças a Deus milhões de vezes por ter me colocado aqui e não no Timor Leste, pois uma coisa é estarmos em ambiente hostil proporcionado pelas intempéries da Natureza, porém deter o mesmo Stress ou diria até pior em um ambiente de trabalho, sendo este provocado por profissionais e semelhantes? Pelo amor de Deus faço um apelo a todos, usem suas capacidades para produzir a Harmonia, esqueçam o orgulho, pois ele não vale de nada(principalmente quando voce mesmo se descobre como Carne Humana e que apodrece independente de que status ou patente voce tenha), Dêem as mãos enquanto é tempo, perdoem as ignorâncias de nós seres humanos, pois só os fortes perdoam e aprendi que fui um covarde por diversas vezes por virar as costas a um pedido de desculpas, tenham humildade pois ao lado do amor ainda são os únicos sentimentos que salvam a nossa alma para a nossa própria consciência(acreditem, acontece).
Amigos, meus irmãos, meus camaradas (odeio jargões, mas tratando-se de certas pessoas tenho que utilizá-los) comtemplem o que lhes resta e assumam publicamente que não é muito, escolham o querem ser e como vão ser lembrados em uma missão de paz (seria a trupe do barulho ou Os Fieis Escudeiros da Paz?), onde se encontram aqueles valores que juramos defender: Honra, Lealdade, Ética dentre tantos outros? Esse tipo de situação me entristece não só como amigo de vocês, mas também como profissional e defensor das mesmas cores que parecem que foram também esquecidas por todos os envolvidos nesse caso... Que vergonha meus caros para nós Brasileiros, Boinas Azuis sermos expostos a nossa própria lavagem de roupa suja, sermos corrompidos pelo ódio um do outro quando o objetivo da missão de TODOS era a PAZ...reflitam se existe a possibilidade do perdão mútuo, reflitam se existe a possibilidade pelo menos de convivência profissional entre os Senhores e caso não exista mais nada disso, comecem do zero e aprendam a ser amigos de novo, senão por voces, mas pela causa que ainda é NOBRE...
Rogo a Deus, nesse momento para que ele abençõe todos e que não deixem que o mal vença em seus corações, pois essa sim seria a pior de todas as derrotas...Estou sozinho aqui nesse momento, pois o Capitão Algenor está de CTO, mas é nessas horas que vejo como sou feliz mesmo tendo minha mente, corpo e alma marcadas por um evento cataclismico, não sejam pequenos, sejam grandes em suas essências pois eu os conheci assim e sei do que são capazes como ser humano e como excelentes profissionais que o são...Que Deus os proteja do inimigo e das ações de voces mesmos...
"O QUE ME PREOCUPA NÃO É A ATITUDE DOS MAUS, MAS SIM, O SILÊNCIO DOS BONS"...

QUE DEUS ILUMINE A MISSÃO DE VOCES, POIS EU ME SINTO HONRADO POR PODER CHAMÁ-LOS DE MEUS AMIGOS...

"A HISTÓRIA PRECEDE O HOMEM"...

RICARDO COUTO - UM MERO TENENTE (QUASE NINGUÉM, NÃO É MESMO, RSS)
MINUSTAH PRA SEMPRE.

Anônimo disse...

MAJOR BECKER, Comentário...
Como de hábito, eu havia me reservado somente à leitura e ponderação a cerca dos posts, mas contundido pela referência a mim direcionada pelo anônimo, gostaria de esclarecer que:
Ano passado, TODO O MEDAL PARADE foi mediado por mim, quando na função de DEPUTY e, que se a festa, foi o sucesso que foi, isso foi devido ao empenho(deliberadamente não mencionado) de todos os UNPOL que cumpriram distintas tarefas, muitos detalhes desde a confecção de convites, sonorização, gravação dos HINOS, elaboração de cerimonial e até o contato com as atrações culturais. Ess empenho dos policiais nas tarefas, em cooperação com o pessoal da Embaixada do Brasil no Timor Leste, acabou por transformar um evento, que deveria ser modesto(apenas 6 policiais brasileiros na missão), em uma grande e memorável celebração nacional, com pompa, muita música, presença relevante do Presidente do Timor Leste, apresentações de capoeira, recepção de medalhas, brinde entre nosso Embaixador eo Presidente desse país e muita afetividade, em um ambiente requintado, de altíssimo bom gosto e prestigio de cerca de 400 pessoas. Não chamaria isso, exatamente, de falta de liderança ou força, ainda mais enquanto o Contingent Commander se encontrava distante dos preparativos e distante da área de missão(contrariamente ao que deu a entender).
No que faz alusão ao fato do Oficiais relutarem em colaborar, cabe colocar que discordavam com o que lhes era imposto por deliberação unilateral e arbitrária, em áreas estranhas ao objetivo da UNMIT, em gritante desacordo com o previsto nas SOP. Eles pensavam por si e contestavam por possuírem discernimento. Não é o que se espera de um Oficial?
De resto, esse DEPUTY FRACO E SEM LIDERANÇA anda tentou, reiteradas vezes, proteger a figura de seu Comandante(pois LEALDADE é premissa), que ora o desconsidera, buscando sempre a preservação pessoal dele e da IMAGEM de nosso CONTINGENTE dentro da UNMIT.
Lamento o rumo que tudo acabou tomando e ainda mais a falta de consideração a mim dirigida.
O que sempre se pode retirar de uma situação embaraçosa como essa, a título de lição, é que quando o BRASIL envia OFICIAIS para representá-lo, eles não só estão estão aptos a fazer distinção entre o que é CORRETO e o que é INCORRETO, mas principalmente, entre o que é JUSTO e o que é INJUSTO... Gostaria de manifestar meu apreço aos capitães e tenentes desse contingente. É um privilégio servir à paz na companhia vocês.
Major UNPOL BECKER

Professor disse...

Para quem leu, num dos comentários acima, feito pelo Anônimo, a palavra "estressar" e não entendeu o que ele quis dizer, vamos ao que fala o dicionário:

estressar (es-tres-sar)
estressar (estresse+ar) vint e vpr Ser levado, chegar ao estresse.

Ou seja, causar/levar ao estresse (o que, em verdade, ele tem feito...), por outro lado, analisando o conteúdo da frase, o que ele quis mesmo dizer foi: ressaltar, destacar.

Tal significado vem de um vício de linguagem: o Idiotismo (se estiverem achando que estou brincando, procurem na gramática), onde se emprega uma tradução literal do termo em um idioma estrangeiro, dando um entendimento diverso na língua do interlocutor.

Assim, ao traduzir, literalmente, o verbo "to stress" para "estressar", o Anônimo quis, na realidade, empregar as outras definições aplicadas ao vocábulo na sua língua de origem.

Por hoje é só, quem sabe outro dia eu volto com um pouco mais sobre a língua portuguesa?

Abraços do Professor Anônimo.

Anônimo disse...

Algumas consideracoes:
Tomara que os psicologos deem jeito na cabeca do Ten Couto. Realmente o cataclisma afetou o rapaz. Nao estava assim no curso... Boa sorte Tenente. O Maj se explicou tanto, mas tanto, que nao convenceu ninguem.
Cada um usa a lingua portuguesa como melhor lhe aprouver. Ela nao pertence aos doutos, ou "professores".
Mais uma coisa: O Comandante pode nao estar perto mas a responsabilidade ainda e dele de decidir.
Vamos parar de usar este espaco para criar desavencas.

Augusto Vilaça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Augusto Vilaça disse...

Comandante é aquele que serve de exemplo a ser seguido. Isso sim! Comandante, líder... Não é apenas o fato de ser hierarquicamente superior, em especial numa Organização em que isso não é levado em conta, que faz uma liderança.

O que o Major Becker falou, tendo a coragem, como todos os demais aqui em assinar e assumir as palavras, foi a mais pura verdade. Temos todo o ciclo de e-mails e documentos que comprovam o que ele disse.

O Ten Couto pode ter sofrido com o Cataclisma, mas isso só o tornou mais forte, afinal escolheu permanecer lá e ajudar e você "Anônimo" o que tem feito, além de cultuar o próprio umbigo e as suas próprias aspirações?

Quanto à língua portuguesa, realmente ela permite os neologismos, mas nem tudo que a gente inventa vira regra.

O incrível nisso tudo é que, num grupo de apenas 6, só um esteja correto e os outros 5 estejam errados. Pior ainda é que esse UM é o único que se enxerga como correto na história, todo mundo ao redor já viu a verdade dos fatos, seja nos comentários aqui do Blog (onde vemos, até mesmo o posicionamento de uma Policial Feminina que nem integra a missão conosco, mas que parece ter percebido bem os fatos e a clareza como foram expostos), seja aqui na ONU, onde todo o contingente brasileiro, inclusive ele, fomos alvo de investigações, as quais ele, quebrando os regulamentos a que nos submetemos, fez questão de divulgar para nossas polícias, para o Exército e sabe-se lá a mais quem (também temos documentos que comprovam isso!). Eu pergunto: Senhor Correção de Atitudes, informou àquelas mesmas autoridades que o senhor responde não apenas a UM, mas a DOIS procedimentos disciplinares? Ah, faça o que eu digo, não faça o que eu faço, né?

Todos sabemos quem é o Anônimo, pena que ele não tenha a hombridade de assinar o que diz, de que será que tem receio? Não é o lado certo da história? Aliás, quando fala que não devemos usar o espaço para acusações, deveria ter pensado nisso antes de colocar o primeito dos comentários, chamando o post de ridículo.

É mesmo uma pena, que EXEMPLO, como já foi dito anteriormente por outras pessoas...

Cap PMPE VILAÇA
UNPOL - UNMIT

Anônimo disse...

Consideracoes II

Sou Lider e Comandante nato.
Vim para a missao com posicao (de relevancia) ja designada pois meu trabalho e reconhecido alem mares. contudo, alguns nao tem o menor respeito por lideranca e comando e ate aplicaram apelidos como calunga e outros mais que nao quero repetir, nao so a mim. So me refiro a esse pois quero que os leitores saibam como sao "aquilatados". Eu ja sei. Esse e o respeito de que estao falando? Reafirmo meu posicionamento anterior especialmente aos fracos e debilitados.
Nao facam referencia a essa Policial Feminina pois tomarei providencias quanto as atitudes dela, ja que se identificou em cadeia, sem necessidade.

Anônimo disse...

Senhores! Não me façam rir!

O tal poderoso não consegue nem ao menos cumprir com suas obrigações domésticas, "entre outras"... Como ameaça tomar providências contra mulher de fibra e posicionamento?
O deputy e o Vilaça tinham razão naquilo que escreveram.

Francamente

Ricardo Couto - MINUSTAH disse...

Caro amigo Vilaça venho aqui pedir-lhe minhas mais sinceras desculpas e também aos demais Oficiais que aqui estão envolvidos bem como aqueles que se envolveram, pessoal ou profissionalmente na questão em lide..Assim o faço porque agora entendo que não é fácil lidar com certas pessoas que não entendem o real motivo de se estar em uma missão de paz ( e que a carapuça sirva pra VOCÊ caro amigo anônimo), mas aprendi que pelo menos um ditado é certo nessa vida: "O mal por si só, se destrói" e o desfecho dessa história eu quero assistir de camarote estando do outro lado do mundo dos Senhores, porque Deus é justo e não desampara aos seus...Informo ao anônimo que se os Psicólogos não derem jeito no meu problema, provalvemente, no seu caso, os seus algozes, depois de um certo julgamento irão dar SOLUÇÃO nos seus problemas que, pelo visto são muitos (pelo menos uns cinco, pelo que eu soube por baixo) e a justiça há de prevalescer e amparar aqueles que passam por uma situação provocada por uma pessoa de espírito tão pobre, de hábito tão vulgar, de coragem tão discutida, de inteligência tão limitada, de atitudes tão desesperadas, ...Um aviso ao navegante ANÔNIMO, não acabei meu curso de Direito de graça não e se esse individuo tiver coragem de me acusar de louco publicamente que o faça e que prove por todos os meios que não sou dono de minhas faculdades mentais ou psicológicas, mas que o faça plenamente pois ainda existem Processos por danos Morais, pelo menos até onde eu estudei e vou ter o prazer em acioná-lo em âmbito Internacional (vejam que chic, rss!!)Bem só me resta agora desejar a todos os meus amigos de verdade que superem da melhor forma possível esta infeliz situação e se unam contra um "mal em comum" para o triunfo merecido...
ESTOU TORCENDO POR VOCÊS E PEDINDO A DEUS PARA O ANÔNIMO APERTAR O CINTO DAS CALÇAS QUE EU ACHO QUE ELE VESTE (REPITO,ACHO, RSS) e provar com toda a sua capacidade técnica a opinião dele no tocante a minha capacidade mental...POR FAVOR CARO AMIGO ANÔNIMO ME DÊ ESSA OPORTUNDADE...

RICARDO COUTO - MINUSTAH

Augusto Vilaça disse...

Caríssimo amigo Couto, as máscaras caem com muita facilidade. Quanto à ação por Danos Morais, é oportuna e cabida, aliás, não será a primeira, já estou entrando com uma no mesmo nível por ele ter disseminado notícias tendenciosas contra a minha pessoa sem razão aparente que TENTAR abater a minha moral.

Fostes muito feliz ao dizer que "A história precede o Homem" e nós sabemos bem a dele.

Os fatos estão aí e agora, parando de joguinhos de "esconde-esconde" e indo para a prática, o fato de chamarmos de anônimo era só para alimentar a covardia dele em não ter a coragem de assumir o que diz aqui e que, não sei se sabe, mas a cada comentário, fica o IP (uma espécie de identidade do computador na rede) guardado no servidor do Blogspot. Basta pedir ao Cap Marco, administrador do Blog, que te mande os registros, já que incluem seu nome e acusações à sua pessoa.

Grande abraço e pode contar conosco para testemunha!

Sem medo de me esconder atrás das minhas palavras,

CAP PMPE VILAÇA
UNPOL - UNMIT